sábado, 11 de dezembro de 2010

Perplexidade.

Bastaria-me um grande amor.
E você me apareceu assim:
Meio mito, meio gente.
Não sei se o mais surpreendente
é fada ou a mulher.
O ser fabuloso fascina e encanta.
A mulher em sua concretude feito toques,
Desejos, sensações...
Ao contrário do poeta
Já não imagino o que sinto,
Pois, tudo se fez sensação.
E a escrita não é profissão de fé;
É testemunho do que me provoca essa
Tua ambigüidade.

Um comentário: